segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Astronomy Picture of the Week: O Núcleo Galáctico em Infravermelho

A minha vontade é de compartilhar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. De verdade verdadeira mesmo, a minha favorita é essa imagem do Cometa Lovejoy, mas eu não quero me sentir tão humilhada depois de postar a minha tentativa de fotografar o cometa, que colocarei aqui ainda essa semana. Total fail!

Então escolhi uma imagem que mostra a região central da nossa galáxia.

Para ver texto e imagem originais, clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
"O que está acontecendo no centro da Via Láctea? Para ajudar a descobrir, os telescópios orbitais Hubble e Spitzer combinaram seus esforços para inspecionar a região em detalhes sem procedência em luz infravermelha. A luz infravermelha é particularmente útil para sondar o centro da Via Láctea porque a luz visível é fortemente obscurecida pela poeira. A imagem acima engloba mais de 2 mil imagens do NICMOS (Câmera de Infravermelho Próximo e Espectrômetro Multi Objeto) do Telescópio Espacial Hubble tiradas em 2008. A imagem mede 300 por 115 anos luz e com essa alta resolução, estruturas com somente 20 vezes o tamanho do nosso Sistema Solar podem ser discernidas. Nuvens de gás brilhante e poeira escura assim como três grandes aglomerados de estrelas são visíveis. Campos Magnéticos podem estar canalizando plasma ao longo do topo à esquerda, perto do aglomerado Arches, enquanto ventos estelares energéticos estão esculpindo pilares próximo ao aglomerado do Quintuplet (Quíntuplo?)  abaixo à esquerda. O massivo aglomerado de estrelas entorno de Sagittatius A é visível abaixo á direita. Ainda não é entendido o porquê de algumas estrelas massivas e brilhantes parecerem não estar associadas a esses aglomerados de estrelas."

Nossa galáxia é rica em estrelas, mas ainda mais rica em poeira e gases espalhados, que originarão novas estrelas. Com a luz visível, não conseguimos enxergar através da poeira, mas com a luz infravermelha é possível sim. Mas nada nos impede de vê-la em outras formas de luz, dependendo do que queremos ver. Se quiser fazer a experiência de como seria nosso céu em outras formas de luz, como o raio-x ou microondas, aqui vai o Chromoscope, um site que permite a visualização do nosso céu  em todo o espectro eletromagnético.







Nenhum comentário:

Postar um comentário