quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Xing Ling: Batom Líquido Menow


Mais conhecidos como "Velevechinas", em alusão aos Velvetines da Lime Crime. Quando saiu o Red Velvet, primeiro batom matte líquido da Lime Crime eu fiquei morrendo de vontade de comprar, continuo morrendo de vontade e querendo o Pansy também, mas a alta do dólar desde então não me dá coragem de comprar um batom de 20 doletas.

Foi quando fuçando no falecido grupo do Beauty and Brains, que o facebook fez o favor de excluir duas vezes, encontrei meninas falando dessa belezinha que pode ser encontrada no Aliexpress.



Comprei as cores 3 (rosa boca), 28 (vermelho) e 33 (vinho)



Fiz a compra no dia 5 de Setembro do ano passado e chegou no dia 10 de dezembro, tempo padrão, que não deveria ser, de entrega dos correios. Paguei R$1,26 em cada um com frete grátis com esse vendedor. Ele foi muito cuidadoso, enviou foto com os itens que estavam sendo postados e a etiqueta com meu endereço para eu confirmar certinho. Depois de confirmado postou super rápido.

Cores 3, 28 e 33

A textura deles é bem mais fina do que os da Dailus e os da Max Love que mostrei aquiaqui e aqui. Levam mais tempo para secar, mas depois de secos a textura aparenta ser mais seca. Agora falta fazer o teste na boca, eu já usei dois deles, quando usar o teceiro, volto aqui pra mostrar.


quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Astrofotografia Fail: Cometa C/2014 Lovejoy

Fiz uma tentativa de fotografar o Cometa Lovejoy em Ubachuva. Não ficou bom, mas também não é a coisa mais terrível do mundo. Pelo menos consegui o meu registro desse evento astronômico. Com um pouco de esforço até dá para ver a cauda do cometa.


Nikon D3200
F/5.6
55mm
6x20s
ISO 800

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Esmalte da Vez: Dance Música

Que nome feio para um esmalte! Mas como é lindo demais está perdoado. O Dance Música é da Marca Anita e no rótulo que eu sempre arranco diz que ele tem um efeito pixie, seja lá o que for isso. Não sei se é um nome fresco para glitter forte ou se é um tipo de liquid sand, não manjo mesmo.


O esmalte é um vermelho bem bonito, base jelly vermelha com glitter mais fininho e hexágonos vermelhos. Também tem uns brilhinhos prateados no meio que deixam o esmalte com uma cara bem bonita. Precisei de três camadas para chegar nessa cor e gostei muito do resultado.



É o primeiro esmalte que eu tenho da marca e achei bem mais bonito que o glitter forte da Hits, além de ser fácil de limpar. Só para tirar que é uma tortura, melhor puxar ele todo no banho mesmo ou passar uma cola branca por baixo. Agora fiquei com vontade de comprar outros esmaltes com esse acabamento.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Astronomy Picture of the Week: O Núcleo Galáctico em Infravermelho

A minha vontade é de compartilhar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. De verdade verdadeira mesmo, a minha favorita é essa imagem do Cometa Lovejoy, mas eu não quero me sentir tão humilhada depois de postar a minha tentativa de fotografar o cometa, que colocarei aqui ainda essa semana. Total fail!

Então escolhi uma imagem que mostra a região central da nossa galáxia.

Para ver texto e imagem originais, clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
"O que está acontecendo no centro da Via Láctea? Para ajudar a descobrir, os telescópios orbitais Hubble e Spitzer combinaram seus esforços para inspecionar a região em detalhes sem procedência em luz infravermelha. A luz infravermelha é particularmente útil para sondar o centro da Via Láctea porque a luz visível é fortemente obscurecida pela poeira. A imagem acima engloba mais de 2 mil imagens do NICMOS (Câmera de Infravermelho Próximo e Espectrômetro Multi Objeto) do Telescópio Espacial Hubble tiradas em 2008. A imagem mede 300 por 115 anos luz e com essa alta resolução, estruturas com somente 20 vezes o tamanho do nosso Sistema Solar podem ser discernidas. Nuvens de gás brilhante e poeira escura assim como três grandes aglomerados de estrelas são visíveis. Campos Magnéticos podem estar canalizando plasma ao longo do topo à esquerda, perto do aglomerado Arches, enquanto ventos estelares energéticos estão esculpindo pilares próximo ao aglomerado do Quintuplet (Quíntuplo?)  abaixo à esquerda. O massivo aglomerado de estrelas entorno de Sagittatius A é visível abaixo á direita. Ainda não é entendido o porquê de algumas estrelas massivas e brilhantes parecerem não estar associadas a esses aglomerados de estrelas."

Nossa galáxia é rica em estrelas, mas ainda mais rica em poeira e gases espalhados, que originarão novas estrelas. Com a luz visível, não conseguimos enxergar através da poeira, mas com a luz infravermelha é possível sim. Mas nada nos impede de vê-la em outras formas de luz, dependendo do que queremos ver. Se quiser fazer a experiência de como seria nosso céu em outras formas de luz, como o raio-x ou microondas, aqui vai o Chromoscope, um site que permite a visualização do nosso céu  em todo o espectro eletromagnético.







sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Coisas que eu não entendo: Pessoas que gostam de calor

Sei que esse post é tão chato quanto as postagens sobre o calor que eu vejo todos os dias no Facebook, mas gente, não tá dando pra aguentar. Como é que alguém pode gostar de um calor desse?


No calor ficamos suados, nojentos e fedidos. E não adianta falar que você não fica fedido, pois a menos que você viva no ar condicionado (e nesse caso para mim a pessoa tá provando que não gosta de calor) ou tome ao menos cinco banhos por dia, estará fedido sim!

Odeio a sensação de cumprimentar alguém e sentir o suor dela encostando em mim, nojo, nojo, nojo!

No calor os ventiladores só jogam um bafo quente em cima da gente, não há forma de refrescar que não seja um ar condicionado ou ficar de molho na água. No frio você coloca várias roupas e pronto, está aquecido. No calor você pode andar pelado que não adianta nada, o calor continua.

Falando em roupas, e as roupas de calor? Odeio usar short e regata! Poxa, o frio é tão elegante. Saudade de botas, calças de montaria, casacos pesados, cachecol, toucas...
Saudade de me maquiar, não me maquio no calor não só pelo fato de que a maquiagem escorre, mas porque não tenho coragem pra isso mesmo. Não tenho coragem para nada, fico com a pressão baixa o tempo todo e só quero ficar deitada na frente do meu ventilador. A simples ideia de sair, e ter de passar muito protetor solar, já é assustadora.

Pessoas que gostam de calor, me deem um motivo do porque gostam dessa coisa terrível!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Esparadrapo Milagroso para os Pés: Fita Transpore Nexcare

Se tem um produto que mudou minha vida no último ano, foi esse esparadrapo! Eu tenho o pé que deve ser delicioso, porque vários sapatos adoram comê-lo! Os locais onde eu mais machuco são o dedinho, a lateral do dedão e a parte de trás do calcanhar, onde passa o tendão. Toda vez que eu usava uma sapatilha o pé ia pro saco, mas agora não mais!


Conheci esse esparadrapo quando uma amiga que postou no facebook sobre um adesivo protetor para os pés da Nexcare, logo joguei no Google para saber um pouco mais e encontrei esse post com uma comparação muito boa entre o adesivo protetor e a fita Transpore. A menina que escreveu o post deve ter feito muitos laboratórios na vida, pois a análise de resultados dela é muito boa, vale conferir. Depois da comparação dela vi que compensava mais comprar o esparadrapo.

O esparadrapo é transparente e todo furadinho, o que facilita o recorte em todos os tamanhos. É bem grosso, e ao aplicar no pé você realmente perde a sensação de tato na pele abaixo dele. O aconselhável é aplicar o esparadrapo com a pele limpa e antes de começar a machucar, mas admito que quando estou na rua e o pé começa a doer, eu coloco ele sem dó, mas vejo que não fica tão firme como quando é aplicado na pele limpa.
 


Outra coisa que me ajudou com os machucados nos pés foi comprar uma palmilha daquelas que fica só abaixo do calcanhar, assim raspa bem menos o pé. Mas sem esse esparadrapo acho que continuaria deixando de usar muitos sapatos só por pensar no machucado.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Astronomy Picture of the Week: Nebulosa da Bolha de Sabão


Primeiramente, desculpa por não ter conseguido postar o Astronomy Picture of the Week no dia certo, é que está difícil ter uma internet estável aqui em Ubachuva, que aliás está sem chuva nenhuma! Primeira vez na minha vida que vejo um Janeiro sem um dia sequer de chuva.

A minha vontade é de compartilhar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. Para essa escolhi essa imagem que até parece de mentira!


Para ver texto e imagem originais, clique aqui

Tradução porca feita por mim:
"À deriva em um rico campo de estrelas da constelação do Cisne, essa amável e simétrica nebulosa, foi reconhecida somente poucos anos atrás e não aparece ainda em alguns catálogos astronômicos. De fato, o astrônomo amador Dave Jurasevich identificou-a como uma nebulosa em 6 de Julho de 2008 em sua imagem da complexa região de Cisne que incluiu a Nebulosa do Crescente (NGC 6888). Ele subsequentemente notificou a União Astronômica Internacional. Somente onze dias depois o mesmo objeto foi idependentemente identificado por Mel Helm, nos Observatórios Remotos de Sierra, registradas por Keith Quatrocchi e Helm, e também submetida à União Astronômica Internacional como uma potencial nebulosa desconhecida. A nebulosa aparece na esquerta da imagem apresentada, é agora conhecida como a Nebulosa da Bolha de Sabão. O que é esta nebulosa que acabou de ser reconhecida? Provavelmente é uma nebulosa planetária, a fase final da vida de uma estrela como o Sol."

Eu já falei da formação de estrelas como o Sol nesse post com uma imagem do telescópio ALMA, mas ainda não falei sobre a morte de estrelas como a nossa. Assim como as pessoas, estrelas também nascem e morrem, algumas em tempo curto e outras em um tempo praticamente sem fim. O nosso Sol é uma estrela de meia-idade e acredita-se que em cerca de 5 bilhões de anos ela morrerá. Resumindo de forma tão porca quanto a minha tradução aí de cima, o que mantêm a estrela estável é um balanço de forças. A massa da estrela faz com que ela seja comprimida devido à sua própria gravidade e a fusão nuclear no interior da estrela faz com que ela seja "empurrada para fora". Enquanto essas forças são anuladas a estrela é estável, mas se uma delas vence, a estrela colapsa, podendo ter diversos fins, que dependem da massa que a estrela tinha em vida.

Para estrelas com massa semelhante à do Sol, o fim acontece quando ela não consegue mais realizar o processo de fusão nuclear, assim ela solta as camadas externas, restando somente um núcleo composto principalmente de Carbono, o último elemento formado pelo processo de fusão de estrelas com esse tamanho. As camadas externas liberadas formam as nebulosas planetárias, que são lindas demais, pelo menos em fotografias. No telescópio eu admito que todas as que eu vi são bem sem graça.

Para saber um pouquinho mais sobre elas, segue o vídeo abaixo!



terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Esmalte da Vez: Blackout e Na Mira 3D

Desde quando comprei o Vibrant Orange da Maybelline Color Show eu fiquei doida atrás do preto, pois achei a qualidade muito muito boa. Aqui em São Carlos só uma farmácia vende os esmaltes Color Show, passei lá diversas vezes e nada de encontrar. Então eu aproveitei a compra do presente de aniversário da minha mãe que fiz na Net Farma para comprá-lo.



Não sei se é porque eu esperava muito dele, mas me decepcionei. A aplicação continua maravilhosa, fica um preto perfeito e brilhante com duas camadas, mas a duração me deixou triste. Já no dia seguinte deu uma lascadinha, achei que fosse porque minhas unhas estavam grandinhas para o meu padrão e cortei. Continuou lascando do mesmo jeito. Chatiada...



Para não deixar o esmalte só preto, que eu amo mas estava com vontade de algo a mais, passei o Na Mira 3D da Impala nos anelares. Eu amo esse esmalte, lembro que quando lançou foi uma loucura atrás dele pois era o mais próximo de um holográfico que tínhamos no Brasil. Ainda hoje acho ele mais bonito que muitos esmaltes holográficos por aí, preciso saber se ainda é vendido para comprar um de estoque da coleção!




sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Meu gosto excêntrico: Chocolate Mania

Saudade define! Até porque esse chocolate já era difícil de achar em Ubatuba quando existia, então eu já passava vontade antes mesmo dele ser tirado de linha.



O chocolate Mania tinha uma gosminha dentro que eu não tenho ideia do que era, mas tinha textura de marshmallow e um gostinho. Tinha de morango e de uva, e acho bem bizarro um chocolate com gosto de uva. No fim não tinha gosto de nada disso, mas era bom demais!



quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Astrofotografia Fail: Raios e Relâmpagos

No dia 12/01/2014 fiz minhas primeiras tentativas de fotografar raios. Não digo que são as fotos mais lindas do mundo, mas fiquei feliz com o resultado.





quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Boca Colorida: Sapatilha Dailus (e comparação com Jaboticaba Max Love)

Depois que eu ganhei o batom Jaboticaba, pensei que nem deveria mais comprar o Sapatilha da Dailus. Eu queria muito esse batom, mas ele nunca chegava aqui na cidade, então desencanei quando ganhei o Jaboticaba. Mas é aquela coisa, você chega na perfumaria e o zóio é maior que o bolso e bom senso. 

Achei a cor linda no vidrinho e na minha cabeça ela era diferente do Jaboticaba. De fato, quando cheguei em casa e coloquei as duas lado a lado, vi que eram bem diferentes... mas só no vidro. ¬¬


Jaboticaba e Sapatilha
Passando no braço as cores são praticamente iguais, que ódio!! Primeiro por ter gasto quase R$18,00 em um batom que eu tenho igual em casa. Segundo por não ser nem um pouco parecido com a cor do vidrinho. Eu queria um batom roxo, roxo como no vidrinho e não um vinho arroxeado, pois esse eu já tenho.

Jaboticaba (esquerda) e Sapatilha (direita)
Como se não bastasse a tristeza de comprar um batom igual, vem o ódio na hora de passar. Simplesmente não consegui passar esse batom. Borrava e manchava demais, além de descascar todo. Depois de muitas tentativas, com aplicador, com pincel, com balm, sem balm, eu arreguei e fui googlear uma forma de resolver este problema. Acabei encontrando neste post do Nox et Lux uma forma de disfarçar esses problemas do Sapatilha.

A gambiarra é basicamente passar um outro batom escuro por baixo do Sapatilha e foi o que eu fiz. Mas achei que isso acabou mudando um pouquinho a cor dele, no fim ficou mais escuro do que o Jaboticaba na boca.


Ainda ficou manchado, mas de longe é aceitável. O que não é aceitável é minha cara de decepção abaixo depois de passar muito tempo tentando acertar um batom na boca.


Chateada. Chateada com a cor, a textura, o acabamento e tudo o mais. Poxa Dailus, gosto tanto dos seus produtos, espero que você não me decepcione na próxima coleção.



terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Esmalte da Vez: Mônaco

De vez em quando me bate umas vontades estranhas, esses dias eu queria pintar as unhas dessa cor, cinza com um tiquinho de encardido no meio. Mas não encontrei nada assim na minha coleção e nem pretendo gastar uma grana preta em um esmalte Dior que raramente eu usarei. O mais próximo que encontrei foi o Mônaco da Dote, ele é cinza também mas tem um pouco mais de encardido do que eu queria. Ainda assim é uma cor bem bonita!

Quando eu voltei a pintar as unhas há muitos anos atrás, foi porque ganhei um esmalte da Dote da minha mãe, o Leblon. Não sei se ainda o tenho, se tiver eu tento pintar e mostrar um dia aqui. No geral eu gosto da qualidade dos esmaltes da marca, mas esse me decepcionou no quesito durabilidade. 



No dia seguinte, o da foto acima, ele já estava lascadinho nas pontinhas dos dedos e depois de uns dias já estava tudo lascado. Não sei se é porque o esmalte está velhinho e provavelmente vencido. foi até chatinho de esmaltar com ele pois já está mais grossinho, dá para ver que acumulou perto das cutículas.

Ah, se alguém souber algum esmalte como o da foto e que seja nacional, me avisem!!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Astronomy Picture of the Week: 25º Aniversário do Hubble: Pilares da Criação.

A minha vontade é de compartilhar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. Essa foi mais uma daquelas semanas difíceis, mas deixo aqui o link das outras imagens pelas quais me apaixonei: Estrelas e Poeira na Coroa Austral100 Milhões de Estrelas na Galáxia de Andrômeda e Uma Pele de Raposa, um Unicórnio e uma Árvore de Natal.

Para ver texto e imagem originais, clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
" Para celebrar os 25 anos (1990- 2015) de exploração do Universo a partir de uma baixa órbita terrestre, as câmeras do Telescópio Espacial Hubble foram usadas para revisitar as imagens mais icônicas. O resultado é essa imagem mais ampla e nítida da região apelidada de os Pilares da Criação, primeiramente fotografada pelo Hubble em 1995. Estrelas estão se formando no interior das estruturas imponentes. Com anos luz de comprimento, as colunas de gás gelado e poeira está cerca de 6500 anos luz de distância em M16, a Nebulosa da Águia,  na constelação da Serpente. Esculpida e corroída pela energética luz ultravioleta e poderosos ventos de jovens estrelas massivas do aglomerado M16, os pilares cósmicos em si são destinados à destruição. Mas o turbulento ambiente de formação de estrelas dentro de M16, cujos detalhes espetaculares foram capturadas nessa fotografia em luz visível do Hubble, são similares ao ambiente que formou nosso próprio Sol."

Acabei escolhendo a imagem acima por razões sentimentais. Quando eu era criança lembro de ter visto os Pilares da Criação em uma Revista Superinteressante e ficava intrigada sobre como podia haver algo assim  no céu e como é que isso nos mostrava o nosso passado. Eu não conseguia ter a noção de que as distâncias astronômicas fossem algo tão imenso a ponto de a luz levar dezenas ou milhares de ano para percorrer essa distância. Poxa, eu mal havia me conformado de que não era possível apontar a luz de uma lanterna para o céu!

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Xing Ling: Evening Star

Tem  certas coisas aleatórias que eu compro por serem baratas e também por estarem lá no fundo do meu inconsciente de coisas que um dia eu já quis comprar. Evening Star ou Estrela da Manhã, ou o colar da Arwen do Senhor dos Anéis, tanto faz, é tudo a mesma coisa!


Ele não é idêntico ao do filme, mas é bem parecido, bonito e de boa qualidade. Usei ele para ir na pré-estreia do Hobbit junto com minhas orelhinhas de elfo. Pena que para eu ser um elfo falta perder metade do meu peso, ficar branca, ter cabelos L'Óreal e o mais difícil, passar a comer salada e coisas verdes da floresta. Tá impossível!




Acho que essa foi uma das compras chinesas que eu fiz que chegou mais rápido ao Brasil. Fiz a compra no dia 11 de Novembro e chegou aqui em casa no dia  8 de Dezembro. Paguei US$1,52 aqui. O vendedor enviou super rápido e chegou aqui em casa bem embaladinho. Recomendo!


quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Compra de Bijus

Um pouco antes do Natal fiz algumas compras de bijuterias baratinhas e que gostei demais, todos foram comprados na Mix Biju em São Carlos, a loja da Rua Episcopal.

Primeiro os anéis, eu queria há muito tempo anéis de falange e só encontrava dourados. Comprei os dois de coroa, que eram os únicos prateados, o primeiro ficou ótimo, o segundo ficou meio largo, isso que dá fazer compra no fim da tarde com a mão já inchada.




Já o terceiro é mais um de corujinha. Na verdade acabei comprando ele só porque era uma promoção de três anéis por R$10,00, ele foi o mais simpático que encontrei no que tinha por lá.


A última coisa é algo que eu sempre quis, sempre achei lindo mas sempre só tinha em dourado. Uma pulsei de moedinhas, bem no estilo cigana. Tinha nas cores prata e essa cor de prego galvanizado, não tenho ideia de como isso seja chamado. Achei bem bonita e o preço de R$5,90 é digno. Ela é muito bem feita e levinha. Único problema é que dá um certo toc de ficar balançando o braço para fazer barulhos.



Agora estou em busca de novos anéis de falange, pois gostei demais da ideia, mas acho que terei de recorrer ao tio Ali mesmo.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Boca Colorida: Jaboticaba Max Love

Desde que a segunda coleção de batons líquidos da Dailus foi lançada, eu estava doida atrás do Sapatilha, via a cor nos posts do Facebook e ficava doida, mas nada de encontrar por aqui. Foi quando ganhei o Jaboticaba da Max Love de uma amiga.



Tenho algumas coisas bem, mas bem antigas mesmo da Max Love, acho que foram as primeiras maquiagens que tive depois daqueles estojinhos de criança e gosto da qualidade deles. Legal saber que eles também estão lançando coisas diferentes e com preço bacana. Não sei o quanto custou este batom, já que foi um presente, mas pelo que andei lendo por aí ele sai na faixa de R$12,00. 

A textura dele é mais fluída do que o da Dailus e tem um cheiro doce terrível. Empresas, parem com esse negócio de enfiar cheiro enjoativo de doce onde não precisa, please! 


A cor é linda, algo entre o vinho e roxo, mas mancha demais! Super chatinho de passar mas com bastante cuidado e camadinhas bem finas em algum momento sai. Na foto bem próxima fica esse aspecto de boca meio falhada, mas é usável mesmo assim. Se a cobertura fosse melhor eu amaria, mas como tem esse defeitinho e o cheiro, posso dizer que gostei muito.



terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Esmalte da Vez: Salto Agulha

Ultimamente eu vou em perfumarias e fico olhando os esmaltes e nada parece me encantar tanto quanto antes, mas de vez em quando algum acaba pulando na minha frente. Foi assim com o Salto Agulha da Bauty Color.


Não tinha nenhum esmalte dessa marca, mas esse vidrinho me encantou. Ele é uma base azul com um brilho verde muito lindo, dependendo da luz fica mais ou menos para uma cor. 



Apesar de ter essa cintilância toda, ele não é difícil de passar não. Duas camadas cobrem bem e não fica marca de pincel. Seca rápido e pelo menos dessa vez que passei não deu bolinhas. Aprovado! Quando encontrar outras cores que me chamem a atenção da Beauty Color, comprarei.


segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Astronomy Picture of the Week: Estranhos Pilares de Luz sobre a Letônia

A minha vontade é de compartilhar todas as imagens do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da semana. Para essa escolhi esses pilares de luz que tanto achei bonito, e que também são fenômenos atmosféricos.

Para ver texto e imagem originais clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
"O que acontece sobre essa cidade? Uma inspeção mais próxima mostra essas estranhas colunas sobre luzes brilhantes e elas são como pilares de luz envolvendo os cristais de gelo em queda, refletindo de volta essas luzes. A imagem acima e algumas outras imagens semelhantes foram tiradas com uma câmera digital comum em Sigulda, Letônia em 2009. No entanto, a razão pela qual esses pilares abrem-se no topo continua sendo um tema para especulação.. O ar estava notavelmente muito frio e cheio de pequenos cristais de gelo, justamente o tipo conhecido por criar alguns fenômenos atmosféricos conhecidos como os pilares de luz, pilares de sol, paraélio e halos lunares. O inverno gelado e cheio neve que está ocorrendo esse ano em algumas partes do hemisfério norte está dando para os entusiastas do céu novas e inesperadas oportunidades de ver alguns desses incomuns fenômenos atmosféricos por si próprios."



sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Gordice: Nozes Praliné

Eu tenho um sério problema na vida que é alergia a amendoim. Minha vida não tem paçoquita, nem pé-de-moleque, nem o pavê de amendoim da minha Tonica, nem torrone e muito menos amendoim praliné. Quando eu era criança até comia coisas com amendoim, mas com o tempo minha alergia piorou e hoje evito ao máximo. Comer coisas com traço de amendoim como um chocolate qualquer não me causa problema, mas comer uma paçoca inteira pode me dar uns revertérios, coceiras e falta de ar.


Felizmente não tenho problema com outras oleaginosas e posso me virar com as outras, e foi assim que me virei. Fazendo nozes praliné ao invés de amendoim. Essa época sempre acaba sobrando um pouquinho de nozes em casa, aí rola fazer.


Ingredientes:
1 xícara (chá) de nozes sem casca cortadas ao meio
1/2 xícara (chá) de açúcar
1/4 xícara (chá) de água
1 colher (café) de fermento em pó
opcional: 1 colher (sopa) de chocolate em pó



Coloque a água, o açúcar, e as nozes em uma panela que não seja muito baixa e leve ao fogo até começar a ferver. Se for utilizar o chocolate em pó, adicione ele à mistura também.



Quando começar a ferver como na imagem acima, adicione o fermento, não se assuste, surgirá um monte de espuma. Mexa rapidamente até a espuma desaparecer. Nesse momento começará a formar uma espécie de caramelo, não pare de mexer. A mistura toda começará a secar e formará a casquinha ao redor das nozes. Quando secar desligue o fogo e espere esfriar bem, estará quente demais para comer. 







Pronto! Se eu soubesse que era algo tão ridículo de se fazer, eu não teria passado vontade de praliné por tantos anos. Pode substituir as nozes por qualquer outra castanha do seu gosto. Agora eu preciso aprender a fazer o pavê da minha tia e paçoca de nozes! 


quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Coisas que eu não entendo: Luzes no cabelo

Estou começando para este novo ano uma sessão mimimi da chata, com coisas que eu simplesmente não vejo sentido. Pra começar uma que eu nunca entendi: luzes no cabelo.



Sério, qual a lógica disso? Ainda mais quando fica todo listradinho assim? Não é bonito, não fica nem um pouco natural, e eu acho que se for para ser artificial, taca logo uma tinta bem colorida né? Pelo menos fica diferente e descolado tiazona mode on.




Vai entender...