segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Astronomy Picture of the Week: Nuvem Molecular Barnard 68

A minha vontade é de compartilhar todos as fotos do Astronomy Picture of the Day, mas escolho só a minha favorita da  semana. Essa semana foi muito, muito difícil escolher. Fiquei em dúvida entre essa, uma nebulosa em formato de coração, uma imagem da chuva de meteoros Geminídeos que aconteceu no último fim de semana e essas estrelas na nebulosa de Órion.

No fim acabei escolhendo a nuvem molecular de Barbard pois é bem legal e eu ainda não falei sobre isso aqui.
Para ver texto e imagem originais, clique aqui.

Tradução porca feita por mim:
"Onde todas as estrelas foram? O que usualmente era considerado um buraco no céu é agora conhecido pelos astrônomos como uma escura nuvem molecular. Aqui, uma grande concentração de poeira e gás molecular absorve praticamente toda a luz visível emitida pelas estrelas de fundo. A assustadora escuridão ajuda a fazer do interior das nuvens moleculares uns dos lugares mais frios e isolados do Universo. Uma dessas notáveis nebulosas de absorção é uma nuvem  na constelação de Ophiuchus conhecida como Barnard 68, mostrada acima, Não ter estrelas visíveis no centro indica que Barnard 68 é relativamente próxima, com as medidas indicando cerca de 500 anos luz de distância e meio ano luz de extensão. Não é sabido exatamente como nuvens moleculares como Barnard 68 são formadas, mas é sabido que são um local provável de formação de novas estrelas. De fato, a própria Barnard 68 é considerada susceptível a colapsar e formar um novo sistema de estrelas. É possível observar através da nuvem com luz infravermelha"

Eu sempre mostro nebulosas todas coloridas e brilhantes, mas nem todas são assim. Há nebulosas como a acima, que são completamente escuras e que nem por isso deixam de ser lindas, adoro essas imagens cheias de estrelinhas e um buraco no meio. De fato, todas as nebulosas são nuvens de gás e poeira, mas algumas refletem a luz de estrelas e outras emitem luz graças ao processo de formação das estrelas que está ocorrendo em seu interior que ioniza o gás a sua volta e o faz brilhar. 

Para quem já foi em um lugar muito escuro e observou o céu aqui do Brasil, provavelmente já viu uma nuvem desse tipo, mas que pode ter passado desapercebida. Ela é conhecida como a Nebulosa do Saco de Carvão e fica bem ao lado do Cruzeiro do Sul, constelação facilmente identificável aqui no Hemisfério Sul. Abaixo tem um mapinha com a o constelação da cruz desenhada para quem quiser tentar achar, vá para um lugar muito, muito escuro e fique ao menos 30 minutos no escuro, assim sua vista adapta-se à escuridão e fica mais fácil observar.




Diferente da nuvem de Barnard, que esconde completamente cerca de 3700 estrelas, a Nebulosa do Saco de Carvão não é completamente escura, ainda dá para ver um certo brilho.

Não sei se poderei postar o Astronomy Picture of the Week nas próximas semanas, pois viajarem para um lugar onde não tenho fácil acesso à internet e como eu sempre faço o post com imagens da semana mesmo, fica complicado. De qualquer forma tem alguns posts agendados por aqui já. Boas férias para todos!


Nenhum comentário:

Postar um comentário